Jorge Miguel Marinho diz que “escrever é aproximar a mão que escreve dos olhos de quem lê. E que ler é sonhar nas palavras o sonho de todos. E que a literatura faz existir o que ainda não existe.” Ele é professor de literatura brasileira, coordenador de oficinas de criação literária, roteirista, ator e escritor de vários livros, entre eles, Te dou a lua amanhã, Prêmio Jabuti, Lis no peito – um livro que pede perdão, Prêmio Jabuti, Na curva das emoções. Prêmio APCA. Jorge também confessa que tem muitos amigos, sua graça maior.

Mostrando todos os 3 resultados